Übiq. | Upcycling não tem nada a ver com bicicleta, mas é tendência eco-sustentável
1632
post-template-default,single,single-post,postid-1632,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-13.5,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Upcycling não tem nada a ver com bicicleta, mas é tendência eco-sustentável

Upcycling não tem nada a ver com bicicleta, mas é tendência eco-sustentável

Conheça o movimento que transforma objetos inutilizados em artigos aprimorados

* Por Fernanda Amarante

Ainda mero desconhecido por aqui, o termo upcycle significa reciclar aprimorando. Ao contrário da reciclagem, o upcycle se refere a reutilizar um objeto de um novo modo sem degradar o material de que ele é feito. O reciclo – por sua vez – normalmente envolve desfazê-lo e transformá-lo em outra coisa, utilizando muito mais energia.

Móveis de segunda mão costumam ser sinônimo de poeira e velharias que poderiam ir direto para o lixão, mas não mais. A reciclagem de madeira e metal já é norma há alguns anos, mas mais recentemente, o setor da decoração e de mobiliário começou a dar maior importância para o assunto, que agora toma um rumo ainda mais ecologicamente sustentável e econômico.

O upcycling pode ser aplicado a gama diversa de objetos, desde joias, móveis e em peças de vestuário. Muita coisa pode ser aproveitada e transformada em algo completamente diferente do seu uso original. Cintos feitos de câmeras de bicicletas, brincos feitos com microcircuitos eletrônicos, abajures feitos com xícaras velhas. Pallets de madeira e caixotes de feira têm sido utilizados como base para a criação de dezenas de móveis, inspirando cada vez mais os designers. O importante é não buscar na natureza materiais virgens, e sim reaproveitar o que já foi produzido. Assim, aumenta-se o valor dos produtos, inovando.

Um exemplo interessante é a hipster WDSG (Wudai-Shiguo) de Hong Kong. Sediada no badalado Star District, a loja – que é também agência de brandig e que tem seguido uma forte linha de decoração/interiores – tem o plano de um sistema de trade-in em que os clientes podem “devolver” um móvel antigo adquirido na WDSG e receber um gordo desconto para a compra de um novo.

E… Num ciclo interessante – mas contraditório – vê-se surgir por aí  (em lojas como a Tok Stok e Etna) produtos inspirados no aproveitamento, mas que foram feitos exclusivamente para a venda. É o #fakeupcycled. Mas isso fica para um próximo texto.

 

 

 

 

 

Referências
Trash or treasure?
Wudai-Shiguo: Hong Kong’s most talked-about retro store

Para ler
Muito além da Economia Verde, Ricardo Abramovay
Prosperidade sem Crescimento – Vida Boa em um Planeta Finito, Tim Jackson.

Para fazer
Alguns projetos de Upcycle para tentar em casa

No Comments

Post A Comment