Übiq. | Normcore + mashup + maker movement = hack the menu
1513
post-template-default,single,single-post,postid-1513,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-13.5,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Normcore + mashup + maker movement = hack the menu

Normcore + mashup + maker movement = hack the menu

Aprenda a hackear o menu do seu fast food predileto e saiba se essa onda é tendência ou apenas gula, das bravas

* Por Suzana Cohen

Em nosso último artigo a Fernanda Amarante falou sobre o movimento de mashup foods (leia aqui), que nada mais é que a mistureba entre iguarias para se criar novos subprodutos como coxinha de brigadeiro ou os queridinhos cronuts.

Também falamos recentemente sobre o movimento Maker e sobre como o termo hack (de hackear) anda em voga: da massinha Sugru (que promete transformar qualquer um em hacker analógico), ao queijo “vegano” de DNA humano (what?) – desenvolvido por Bio-Hackers  – , ou mesmo os Hacker Spaces (espaços de co-working de makers tecnológicos).

E dentro desse balaio há o incrível (e também estranho) site Hack the Menu (hackthemenu.com), que dá dicas de como criar lanches de redes fast-food de forma exclusiva.

A página apresenta várias sugestões de menus secretos para os “verdadeiramente entendidos”. Essas dicas permitem ao “glutão de plantão” saborear exclusividades a partir da junção de elementos diferentes do cardápio ou de um jeito inusitado de fazer o seu pedido. No Subway, por exemplo, eles sugerem que se peça para cortar o pão “à moda antiga” (de uma maneira enviesada, de cima pra baixo).

A coisa ganhou tanta força que existe até um app do Starbucks para desvendar menus secretos.: o Secret Menu for Starbucks.

Dentre as iguarias, achamos um exemplo especial: o Mc10:35. Trata-se de uma mistureba que transforma seu mcBurguer em um “X-tudo”: um duplo cheese burger turbinado com o ovo!

O produto disso tudo seria uma mistura de Normcore + Mashup + Maker Movement. Übertemdemzia.

Tanto o mc 10:35 quanto o app do Starbucks são exemplos de como uma tendência gastronômica do “lado B” (ou a demanda do público), eventualmente pode influenciar inovações oficiais das empresas.

O CASE Mc 10:35

Em 2010 houve a criação “underground” do Mc10:35 e atualmente ele é consumido por nerds-glutões pelos EUA afora. Como ele é: na hora da mudança de turnos entre café da manhã e almoço, precisamente entre 10h30 e 11h, consumidores podem encontrar um resto de café da manhã (ex o ovo Egg mc Muffin) e sanduíches do menu tradicional, que oficialmente começam a ser vendidos às 11h. O subproduto é um “frankenburguer” mashup X-tudo.

COMO HACKEAR O MENU

Fomos a campo tentar hackear alguns menus. As dicas do hack the menu são bastante americanóides e várias delas não se aplicam à nossa realidade. Já vimos algumas resenhas inglesas com a mesma critica. No entanto, isso não quer dizer que a gente não consiga – com o jeitinho brasileiro de inovar – criar os nossos próprios menus hackeados.

Constatações sobre o Mc 10:35 e como montar o seu:

–       Nas lojas 24h o frankenburguer pode ser pedido em qualquer horário na grande janela entre as 7h e 11h da manhã.
–       Nas lojas convencionais que servem café da manhã (e não são 24h), a janela é a das 10h30-11h mesmo.
–       Não existe no Brasil o Egg Mc Muffin, mas existe o Egg Cheddar Bacon. Peça em vez.
–       O duplo Cheese Burger saiu de linha. Em seu lugar vale pedir o Mc Pampa ou qualquer sandubão de sua preferência, inclusive o angus bacon über maxi deluxe.
–       Pronto. Mc egg-X-tudo-com-tudo-dentro viabilizado.

Seria um McBrunch não convencional, o verdadeiro matador de fome, que não aparece em nenhum menu.

Observação: Ao perguntar dessa possibilidade todos os atendentes teceram um olhar perplexo de Whaaat?!

Alguém vai encarar o desafio-glutão?

* Aceitamos outras sugestões de menus hackeados!

**Lembram-se do McFreddo – o sundae com torta de maçã? Ele é a cara dessa mesma linha e foi incorporado, por um breve momento, ao menu da rede.

Como chegamos nessa “bobagem”?

O futuro da comida nos dá pistas preciosas sobre a sociedade. Muitas das tendências gastronômicas passam também por aspectos culturais, de agricultura, de saúde e sociais. As teorias do trend hunting são perfeitamente aplicáveis às tendências alimentares/gastronômicas.

Pronto, numa dessas pesquisas eis que surge o mc10:35!

REFERÊNCIA
Hack the Menu
Hack the Menu? No thanks, we’re British

No Comments

Post A Comment